Mães versus Google

  • 2
  • 26 de novembro de 2015

Pois então, here I’m again.
Resolvi falar sobre uma situação pela qual passei e que, possivelmente, algumas mães de primeira viagem irão se identificar – as madrugadas (e manhãs, tardes e noites) grudada no Google buscando coisas como: “é normal o bebê ter soluços todos os dias?”, “Dicas para minimizar as cólicas?”, “Meu bebê não para de chorar”, “Como identificar os tipos de choro”. Hahaha
E sim, eu escrevo bem assim no Google. Nada de simples palavras-chaves como: cólicas, soluços, choro. Eu curto mesmo é escrever toda a situação para já receber as informações bem completas mesmo e (PASMEM!) geralmente encontro tudo certo. Não que encontre as respostas que preciso, porque na maioria das vezes tu cai em uns fóruns em que você prefere cortar os pulsos (sim, sou extremamente chata com erros de português do tipo: voçe, amanentação, kirida, probremas,…) e desiste de ler os posts.
Aqui fica uma campanha: #gramáticaparaTODOS. Afinal, o lema do Brasil é a educação, certo? Eu fico irritada num nível hard quando erro algo e não tenho paciência para ler coisas TÃO erradas. Imaginem agora como sou zoada quando cometo gafes (com toda a razão do mundo). Bom, voltando ao tema (…)

Que montagenzinha tosca, ein meu povo?! Mas né, quando a blogueira está sem PS é o que nos resta.

Que montagenzinha tosca, ein meu povo?! Mas né, quando a blogueira está sem PS é o que nos resta.

Sites como o Baby Center, E-familynet e Guia do Bebê sanaram algumas dúvidas minhas de bate-pronto. Só que eu sempre confirmava com a pediatra, SEMPRE. Afinal, como são fóruns, o conhecimento geralmente é empírico. Ou no pior método “tentativa e erro” possível. Além de, é claro, muita mandinga de avó rolar por lá. Com conselhos do tipo: dê o remédio até ele melhorar e depois corte, afinal, ele é muito pequeno para tomar remédio. OI? Gente, juro que eu tinha vontade de comentar no post algo do tipo: #VaiLavarEssaCara que conselho mais bosta! Mas né, sou mãe e educada. Aí eu limitava minha vontade e simplesmente ignorava.
Li esses dias algumas dicas para passar o refluxo e quase morri de rir. Algo do tipo: enrole o bebê, joga pra cima, dança Macarena e rebola. Hauhauhauah Tá, não. Mas era tão sem noção quanto.
O Google resolve a vida em alguns momentos, ele te acalma quando tu percebe que não está sozinha no meio da loucura. Mas todo cuidado é pouco! Principalmente com essas técnicas ninja/empírica/loucas que são propostas.
Ah! E assim, para as dúvidas sobre as cólicas, só lamento. Tu podes sambar russo, dançar o Tchãn e tal, mas no final não adianta. É fisiológico e aí é só sacolejar (#dicaninjameignorem) e ficar cantarolando: já vai passar amorzinho, pxxxxx. Pxxxxxx. Hahaha
Beijos, Ká.

Deixe uma resposta

Pin It on Pinterest

Compartilhe =D