Gangorra de emoções? Bem-vindo ao mundo das grávidas

  • 0
  • 5 de novembro de 2015

Acredito que uma gangorra represente muito bem as emoções durante a gravidez. Afinal, os altos e baixos são constantes. Mas calma povo, tudo passa em 9 meses. rs Ou não.

Se você já tem filhos, está grávida ou deseja engravidar, talvez se identifique com algumas situações que vou descrever aqui.

Para mim, a ebulição hormonal já foi sentida a partir do primeiro mês. Acredito que seja mais fácil, inclusive, dividir por trimestres as emoções. Na verdade, toda a minha gestação pode ser dividida em trimestres (…) incrível como tudo ao meu redor foi alterando a cada 3 meses. Isso inclui o corpo, sentimentos e, é claro, as expectativas.

O primeiro trimestre pode ser descrito como: O irritável. Ou seja, tudo irrita. No meu caso, que já consigo ir do zero ao cem em segundos (quando quero ou preciso, claro!), os efeitos foram potencializados. Porque gente, juntem os hormônios (uma verdadeira invasão) ao fato de eu enjoar todo santo dia (durante o período todo – inclua aí as noites, porque só o cheiro de comida sendo feita de madrugada pelo restaurante ao lado do meu prédio já me fazia olhar para fora da janela segurando panelas, pratos e demais itens da cozinha com a intenção de jogar no telhado do restaurante só para amenizar o sentimento de ódio mortal – mas nunca joguei, juro!). Mas então, aqui vai uma #DicaParaAVida: Não tome decisões importantes da sua vida neste período, aqui inclui-se as DRs com os parceiros e reuniões de trabalho. E sempre RESPIRE antes de surtar. hahaha Sério, ninguém precisa sofrer os efeitos colaterais da sua atual situação. Tente levar com bom humor e quando estiver muito irritada, saia para dar uma voltinha. Quando você voltar já vai estar mais sossegada e conseguir pensar melhor.

Eu divando aos 5 meses no Central Park, NY.

Eu divando aos 5 meses no Central Park, NY.

O segundo trimestre: O lindo. Sério, achei esse o melhor período da gestação. Uma porque os enjoos passaram e outra porque você já está parecendo mais com uma grávida do que com uma pançudinha. Ou seja, as pessoas já não te olham com aquela cara de: nossa ela engordou. E substituem pelo: que linda, está grávida (lembrando que aqui começam as 7 perguntas que toda grávida escuta, saiba mais aqui porque já falei sobre isso). #DicaParaAVida2: Esse eu acho o melhor período para viajar e aproveitar com o seu companheiro umas últimas férias à dois (eu seeeeei que isso volta depois, mas gente, vai demorar até você poder ficar só com seu namorado/esposo/amigocolorido por longos períodos). Eu e meu esposo aproveitamos o período para ir viajar para NY e montar o enxoval do Alec, e sério, foi sensacional. Maaaaaaaaaaas, aí vai a #DicaParaAVida3: Se for viajar durante este período lembre-se de duas coisas:

#1 Procure viajar para locais com fácil acesso à banheiros. Juro, isso é FUNDAMENTAL. Eu tive um fato bem (…) pontual. Durante nossa viagem eu precisei MUITO (mas MUITO) ir ao banheiro durante uma das nossas caminhadas e simplesmente não achei um banheiro decente mesmo caminhando UM MILHÃO (exageraaaaada!) de quadras. Quem conhece NY sabe que o número de Starbucks é simplesmente gigante, mas então como nós não encontramos um só que tivesse um banheiro?! Resposta: Azar! E olha que entrei em uns 4 neste percurso. Depois de intermináveis quadras em busca de um banheiro, achei. E pasmem, aí eu nem queria mais fazer xixi. Irritação nível hard. Você vê por aqui!

#2 Leve o atestado do seu médico dizendo que você está apta para viajar de avião. É extremamente importante e isso pode dificultar a sua vida (principalmente no embarque) caso você esqueça. Se não me engano, você pode viajar tranquilamente até a 27a semana. Sobre viajar de avião grávida (eu estava de 5 meses), foi super tranquilo. Mas procure sentar no corredor, lembre-se da necessidade de utilizar o banheiro a cada 5 minutos. hahaha

O terceiro trimestre: O cansativo. Vou dizer, escutei de algumas amigas que eu (próximo ao final da gravidez) já estaria contando os dias para o bebê sair. Não só pela expectativa de vê-lo (que sim, é gigante), mas pelo fato de não aguentar mais aquela barriga gigante. Prepare-se para enfrentar algumas situações cotidianas com bom humor (veja abaixo), porque se você não levar “de boa”, provavelmente terá problemas com seu par. haha

  1. Amarrar o cadarço será um problema à parte. E chinelos serão seus melhores amigos.
  2. Lavar o seu pé representará um caso de amor e ódio diário. E você terá que se esforçar para vê-los. hahaha Eu achei o máximo depois do parto poder vê-los, pegá-los e lavá-los com a maior tranquilidade do mundo.
  3. Caminhar curtos percursos que você fazia em 5 minutos, do nada, tomarão o dobro do tempo. Isso sem contar que você poderá ficar cansada muito mais rápido. Como eu já contei, malhei até o oitavo mês e isso fez a diferença. Eu fiquei mais cansada depois que não pude mais frequentar a academia (…), foi triste.
  4. Levantar da cama poderá representar uma luta se a sua cama for muito baixa. Sabe aquela força que precisas tirar do abdômen para levantar-se? Pois é, ela não existirá mais. rs Aqui inclui-se qualquer movimento de levantar-se. Não tenha pressa e sorria gentilmente enquanto levanta sua mão delicadamente para o primeiro ser humano em sua frente com aquela carinha “me levanta”? haha Usei muito isso! Lembre-se que a gentileza paira ao redor das grávidas (o número de carros que param na faixa de segurança duplica, sério).
Geyse?!

Geisy?!

Bom, acredito que isso resuma bem o turbilhão de emoções. Só que eu não posso finalizar o post enganando as pessoas. Não, isso seria muito fake da minha parte. No terceiro semestre, mais precisamente no último mês, uma emoção imperou em minha pessoa: o CHORO. Meu marido que o diga, foi tipo um inferno na Terra (hahahaha, exageraaaada de novo). Mas sério, eu chorava por tudo e olha que isso é bem difícil de acontecer comigo. Mas situações como: guerra na Chechênia, posts de animais agredidos no Face, bullying com Geisys Arrudas, tudo isso despertava o choro. Ah, isso e o fato de eu me achar um balão. Eu olhava para o guarda-roupa e pensava: Quero usar uma calça jeeeeeeeeeeeeeeeeeans, não essas leggings de academia. Mas né, isso durou um mês. E QUE mês mais devagar meu povo. Mas aí passou e hoje eu já entro nas calças normalmente, ae ae ae. \o/ \o/ \o/

Fim. hahaha

Beijos, Ká.

 

Deixe uma resposta

Pin It on Pinterest

Compartilhe =D