A saga de uma vaca leiteira

  • 2
  • 16 de novembro de 2015

Mas que nome para um post, não? Vocês podem imaginar sobre o que vou falar, a referência já fala por si eu imagino. Antes de tudo, se você for um leitor do sexo masculino recomendo não ler este texto. Muito provavelmente irei “dessensualizar” um dos maiores ícones da beleza feminina: o seio. E, meus queridos amigos, não é essa a minha intenção. Portanto, não leia se você for um tarado por peitos. Dito isso, vamos lá (…) meu relato é sobre amamentação.

Para começar eu tinha pensado em ilustrar esse post com uma cabra ao invés da vaca, porque poderia ser levemente polêmico comparar o ato de amamentar à uma vaca e tal. Aí achei a cabra um animal mais fofo. Só que, vamos combinar, a vaca combina totalmente e não é agressivo eu usar um animal para me expressar. Certo?

Minha saga com a amamentação começou antes mesmo de engravidar, mais precisamente quando coloquei silicone nos seios há uns 5 anos atrás. Fiquei com a dúvida: será que vou conseguir dar de mamar se algum dia engravidar? Bom, sim e foi super tranquilo.

Só que eu não tinha a mínima noção do que seria amamentar. E cara, quando tu descobre que vais ter que dar de mamar na primeira hora (ou pelo menos tentar) que o bebê nasce e tu já tens leite (mesmo que não tenha saído nada antes) é tipo: estranho. Ok que o nome dado a este leite é colostro e ele é bem peculiar, mas eu não sabia que você já tinha leite. Eu achei que nós produzíamos leite somente depois de 3 dias, que ele iria “descer” mais tarde, ainda mais porque fiz cesária. =O Ou seja, para quem é bem desinformado como eu era, saiba que você vai ter leite na hora que seu filho nascer.

Ainda na maternidade todas as mulheres ao seu redor irão pegar no seu peito para ajudar você e seu filho na hora da amamentação. Nada de #mimimi aqui, ein. Afinal, uma nunca amamentou e ou outro nunca mamou. Seria a perfeita combinação para o desastre SE a natureza não fosse simplesmente perfeita e isso fosse totalmente instintivo. Mas espera, não é tão fácil e exige bastante empenho (principalmente da mamãe). Ou seja, mesmo que mil pessoas tentem lhe ajudar, siga a sua intuição e maneje a sua cria em busca da melhor posição. O Alec (que é um fominha) já mamou bem rápido, mas lembro de estar amamentando às 4h no hospital e um bebê ficar chorando por uns 40 minutos porque tinha fome. Pensem no desespero destes pais! Sério. Portanto, empenho é fundamental. E calma. Muita calma!

#DicaParaAVida: Caso seu filho fique meio sonolento e não se empenhe para mamar, você deve acordá-lo. Como? Deixe ele com menos roupa, faça cócegas nos pés e se nada disso funcionar, passe um algodão com água nele. Sim, não tenha dó. Ele precisa mamar, vai te agradecer.

Olha a feira aí pessoal! =P

Olha a feira aí pessoal! =P

Aí OK, tu vais para casa e 3 dias depois os seus peitos viram dois MELÕES. No meu caso, quase mini melancias e eles DOEM demais. Empedram! E o que você faz?! No meu caso, corre para o Banco de Leite (que por sinal precisei ir quatro vezes!). Gente, eu já falei sobre isso em outro post, mas vale reforçar: se você tem MUITO leite – compressa fria! NUNCA quente! Isso piora demais. Essa “descida” do leite não é brincadeira não, dói para caramba e tem muita mami que desiste de amamentar neste momento. Uma porque o baby não consegue mamar direito, não consegue “pegar” corretamente e isso faz com que entre ar. O resultado? Gases e choro do bebê e da mamãe. Por isso, o correto é fazer massagens nos seios e tirar um pouco de leite mesmo. ORDENHAR! Sério, ordenhar, literalmente. Aqui dá para entender a relação com a vaca, certo? Manualmente eu acho beeeem sossegado, já com aquelas bombinhas…um sufoco. Dói mais e na minha opinião é bem mais demorado.

Mas aí tu pensa: ah, ok (…) passei pela parte ruim. Os meus seios já estão menos cheios e agora tudo vai estabilizar. Não se iluda! Você terá que esgotar o seu seio (geralmente um deles, porque é importante já se acostumar com o fato que a proporcionalidade de tamanho dos dois não será a mesma por algum tempo) ou ao menos tirar um pouco de leite algumas vezes ao dia para amenizar a dor. Porque, my friend, eles vão estar cheios em vários momentos. Principalmente durante a noite, quando você pensa: que bom que meu filho dormiu uma hora a mais. Só que você, minha querida, vai acordar mesmo assim… porque seu seio vai estar explodindo.

Só que assim, não vamos reclamar. Certo? Ter leite é uma vantagem e amamentar é bem fofo. Mas vai dizer, ninguém tinha falado que poderia doer. E dói. Mesmo com a pega correta, as primeiras puxadas doem. Sim, se o baby estiver pegando corretamente a dor é quase nula, mas ainda vai lhe fazer lembrar que ele está ali. Agora, quando a pega está errada (…) puta merda, dói.

#DicaParaAVida2: Descobri que meu filho tem refluxo porque ao mamar ele começou a ficar irritado e jogar a cabeça para trás enquanto deveria estar agarrado no seio. Agora eu já estou tratando com remédios e está diminuindo o problema, mas em uma semana não sumiram todos os sintomas ainda. Bem triste!

Como não morder uma fofura dessas?!

Como não morder uma fofura dessas?!

Eu, para concluir, sou o que chamam de grande produtora de leite. Vulga, a vaca-mór. E isso faz com que eu esteja constantemente desesperada por tirar leite. Este é um dos motivos de eu ser uma doadora de leite, afinal, todos ganham nesta relação. Mas vou dizer, constantemente me pergunto se eu vou conseguir amamentar por muito tempo, o empenho é absurdo. E não vou glamourizar e dizer que “ó, faço isso porque amo essa sensação”. Não gente, faço pela saúde do Alec, porque caso contrário eu já teria partido para a mamadeira mesmo. Eu gosto de amamentar meu filho, acho um momento lindo e só nosso, vê-lo ali agarrado é bem fofinho mesmo. Só que produzir tanto leite está dando um trampo absurdo. Isso quando meu filho não se afoga mamando porque o fluxo é muito grande (mesmo tirando antes um pouco), eu me distraio com alguma coisa e quando vejo meu filho já está ensopado com leite até na orelha ou ainda, quando eu acordo no meio da noite e tenho que trocar o pijama (de novo). Lindo né?! Só que não.

Usei algumas vezes aquelas conchas, mas a pediatra pediu para abolir isso porque pode dar problemas. Vou dizer que para mim usar ou não dava na mesma, então cortei. Faço compressas frias às vezes, após amamentar. Mas já li que não faz muita diferença e sinceramente, não vejo mudança mesmo e só me faz ficar acordada por mais tempo. O que funciona é tirar o leite e doar.

Por último, a relação do seu companheiro com o seu seio, que antes era bem sensual e sexy, agora será diferente. E, na minha opinião, triste. Hahaha Os peitos ficarão à inteira disposição do seu filho por um tempo e você não vai querer ninguém apalpando. É importante que fique claro para o casal que isso é temporário, logo volta ao normal (…).

À todas as futuras mamães eu desejo boa sorte. Para mim eu desejo, paciência.

Agora lá vou eu voltar para a 4598764724 mamada do dia. Ver o sorriso mais lindo do mundo, do pequeno tratante mais fofo que existe.

Beijos, Ká.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Pin It on Pinterest

Compartilhe =D